A Britannia e suas mulheres

  • Tais Pagoto Belo Unicamp

Resumo

A proposta deste artigo é refletir sobre as mulheres na sociedade antiga, em especial da Britannia, durante a chegada e a presença do Império Romano na província. Esse não era um grupo homogêneo, pois a população que ali já tinha se alojado, quanto a  que veio depois, havia uma grande variedade de ideias acerca do status de romanas e bretãs e do modo como essas mulheres deveriam conduzir suas vidas. Materiais sobre elas foram encontrados em registros epigráficos, como em lápides, com mensagens póstumas de seus maridos. Este trabalho comparou essas fontes com a obra de Tácito, Anais, uma vez que esse autor parece sempre retratar as mulheres com características pejorativas, muito diferentes das palavras carinhosas dadas a elas nos locais em que estão enterradas.

Referências

ALDHOUSE-GREEN, Miranda. 2006. Boudica Britannia. London: Pearson Longman.
ALLASON-JONES, Lindsay. 2004. The Family in Roman Britain. In: Todd, M. (Ed.). A companion to Roman Britain.Oxford: Blackwell Publishing.
ALLASON-JONES, Lindsay. 2005. Women in Roman Britain. York: Council for British Archaeology.
ALLASON-JONES, Lindsay. 2012. Women in Roman Britain. In: James, L. S. & Dillon, S. (Ed.). A companion to women in the Ancient world. Oxford: Blackwell Publishing.
BARRETT, Anthony A. 1996. Agrippina: sex, power, and politics in the early empire. Yale, London: Yale University Press, New Haven.
BEAUVOIR, Simone. 2010. The second sex. Nova York: Vintage Books.
BELO, Tais. P. 2014. Boudica e as facetas femininas ao longo do tempo: nacionalismo, feminismo, memória e poder.Tese de doutoramento apresentada ao Programa de pós-graduação do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas. Departamento de História, área de concentração em História Cultural.
BRAUND, David. 1996. Ruling Roman Britain: kings, queens, governors and emperors from Julius Caesarto Agricola, London, Routledge.
BUTLER, Judith. 1999. Gender trouble: feminism and the subversion of identity. 10th anniversary ed. Nova York, Londres: Routledge.
DAVIES, John. & ROBINSON, Bruce. 2009. Boudica: her life, times and legacy. Cromer: Poppyland Publishing.
DOBRES, Marcia A. & ROBB, John. E. 2000. Agency in Archaeology. Oxford: Blackwell.
FEITOSA, Lourdes. C. 2005. Amor e sexualidade: o masculino e o feminino em grafites de Pompéia.São Paulo: AnnaBlume.

FIELDS, Nic. 2011. Boudicca’s rebellion AD 60 – 61: the Britons rise up against Rome. Oxford: Osprey Publishing.
FILHO, Ernesto, P. & VASCONCELOS, Edson. 2007. Foucault: da microfísica à biopolítica. RAGO, M.; MARTINS, A. L. (orgs). Revista aulas: dossiê Foucault. ISSN 1981 – 1225.
FISCHLER, Susan. 1994. Social Stereotypes and Historical Analysis: the case of the imperial women at Rome. In: Women in Ancient Societies. New York: Routledge.
FOUCAULT, Michel. 1991. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 9 ed. Petrópolis: Vozes.
FOUCAULT, Michel. 2001. História da sexualidade I: a vontade de saber. 14 ed. Rio de Janeiro: Graal.
FUNARI, Pedro P. A.; GARRAFFONI, Renata S. 2016. Historiografia: Salústio, Tito Lívio e Tácito. Campinas: Editora Unicamp.
GARDNER, Jane. F. 1990. Women in Roman law and society. London: Routledge.
GARRAFFONI, Renata. S. & FUNARI, Pedro. P. A. 2012. The uses of Roman heritage in Brazil.Heritage and society. v. 5, pp. 53 – 76.
HINGLEY, Richard.& UNWIN, Chritina. 2005. Boudica: Iron Age warrior queen.London: Hambledon Continuum.
HODDER, Ian. 1986. Reading the past: current approaches to interpretation in archaeology. Cambridge: Cambridge University Press.
JOHNSON, Matthew H. 1989. Conceptions of agency in archaeological interpretation. In: Journal of Anthropological Archaeology, 8.2. pp. 189 - 211
JOHNSON, Marguerite. 2012. Boudicca. London: Bristol Classical Press.
MAIA, Ana C. B. 2005. Identidade e papéis sexuais: uma discussão sobre gênero na escola. In: MAIA, A. C. B.; MAIA, A. F. (Orgs.). Sexualidade e Infância. Cadernos Cecemca n.1. Bauru, Faculdade de Ciências: Cecemca; Brasília: MEC/SEF, 2005. (p.66-82).
MATTINGLY, David. 2004. Becoming Roman: expressing identity in a provincial setting. In: Journal of Roman Archaeology, 17, pp. 5 – 25.
MEAD, Margaret. Sexo e temperamento. São Paulo: Perspectiva, 1969.

MESKELL, Lynn. 2007. Archaeologies of identity. In: T. Insoll (ed.) The archaeology of identity: a reader. London: Routledge, pp. 23 – 43.
MEYERS, Rachel. 2012. James, S. L. & Dillon, S. (eds.). Female portraiture and female patronage in the high imperial period. A companion to the women in the Ancient World. Malden, Oxford, Chichester: Blackwell Publishing.
NOLASCO, Socrates. 1993. O mito da masculinidade. Rio de Janeiro: Rocco.
PEREIRA, Marcos, E. 2002. Psicologia social dos estereótipos. São Paulo: EPU, 2002.
PINTO, Renato. 2011. Duas rainhas, um príncipe e um eunuco: gênero, sexualidade e as ideologias do masculino e do feminino nos estudos sobre a Bretanha Romana.Tese de doutoramento apresentada ao Programa de pós-graduação do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas. Departamento de História, área de concentração em História Cultural.
RAWSON, Beryl. 2006. Finding roman women. In: Rosenstein, N. & Marx, R. M. (eds.) A companion to the roman republic. Oxford: Blackwell Publiching, pp. 324 – 341.
REVELL, Louise. 2016. Ways of being roman: discourses of identity in the roman west. Oxford & Philadelphia: Oxbow Books.
RIESS, Werner. 2012. Rari exempli femina: female virtues on Rome. JAMES, S. L. & DILLON, S. (orgs.). A companion on women in the Ancient World. Chichester: Wiley – Blackwell.
REIS, Kellen. C. F; MAIA, Ana. C. B. 2009. Estereótipos sexuais e a educação sexista no discurso de mães. In:Valle, T. G. M., org. Aprendizagem e desenvolvimento humano: avaliações e intervenções [online]. São Paulo: Cultura Acadêmica. pp. 137 - 154. ISBN 978-85-98605-99-9. Disponível em: SciELO Books .
SALWAY, Peter. 1993. The Oxford illustrated history of Roman Britain. Oxford:OUP.
SEALEY, Paul R. 1997. The Boudican revolt against Rome. Oxford: Shire Publications LTD.
SHANKS, Michael.; TILLEY, Christopher. 1992. Reconstructing Archaeology: theory and practice. 2nd ed. London, Routledge.
VARELLA. Flávia, F. 2006. A proximidade feminina e a imagem Imperial: Nero, Tácito & os Anais.In: Revista eletrônica: Cadernos de História. Ano I, n.2. www.ichs.ufop.br/cadernosdehistoria, ISSN 1980-0339.
Publicado
2017-12-21
Como Citar
BELO, Tais Pagoto. A Britannia e suas mulheres. Revista de Arqueologia, [S.l.], v. 30, n. 2, p. 176-192, dez. 2017. ISSN 1982-1999. Disponível em: <http://revista.sabnet.com.br/revista/index.php/SAB/article/view/552>. Acesso em: 25 fev. 2018. doi: https://doi.org/10.24885/sab.v20i2.552.