Gotas de um oceano

uma abordagem feminista sobre a análise bibliométrica do curso de Antropologia da UFMG

  • Lara de Paula Passos UFMG

Resumo

O texto discute as questões de gênero e representatividade observadas a partir de uma análise bibliométrica das disciplinas obrigatórias do curso de Antropologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), suas consequências e desdobramentos, apontando as assimetrias acadêmicas, bem como as omissões e os apagamentos perpetuados e institucionalizados pela produção científica a partir da formação e propagação de um conhecimento hegemônico.

Referências

BALLESTRIN, Luciana. 2013. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 11, p. 89-117.
BATTLE-BAPTISTE, Whitney. 2011. Black Feminist Archaeology. Left coast press.
BÉLO,Tais Pagoto. 2014. Um estudo preliminar sobre Boudica e a memória coletiva britânica. Cadernos do LEPAARQ, v. 11, p. 105-121.
BIDASECA, Karina. 2014. Interseccionalidades e pós-colonialidade na diversidade de teorias e práticas no campo feminista. IV Seminário Internacional Política e Feminismo Seminário 30 anos Nepem UFMG. 10 a 13 de setembro. Belo Horizonte.
CAFÉ, Ligia; BRASCHER, Marisa. 2008. Organização da informação e bibliometria. Encontros Bibli: revista eletrônica de Biblioteconomia e Ciência e Informação, Florianópolis, n. esp., 1º sem.
CARNEIRO , Aparecida Sueli. 2005. A Construção do Outro como Não-Ser como fundamento do Ser. Tese de doutorado, Feusp.
CASTRO GUEDES, Moema. 2014. Bolsas e bolsistas de produtividade do CNPq: uma análise de gênero. Anais eletrônicos do 14° Seminário Nacional de História da Ciência e da Tecnologia SNH. Belo Horizonte.
CONKEY, Margaret W & SPECTOR, Janet D. 1984. Archaeology and the Study of Gender. In: Advances in Archaeological Method and Theory Vol. 7 pp. 1-38.
FRANCHETTO, Bruna. 1981. Antropologia e feminismo in: FRANCHETTO, B.et AL. (coords.) Perspectivas antropológicas da mulher (1). Rio de Janeiro: Zahar.
HARAWAY, Donna. 1995. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cad. Pagu (5), p.7-41.
KELLER, Evelyn Fox. 1985. Reflections on Gender and Science. Yale University Press.
LUGONES, María. 2014. Rumo a um feminismo descolonial. Estudos Feministas, Florianópolis, 22(3):935-952.
ORTNER, Sherry. 1979. Está a mulher para o homem assim como a natureza para a cultura?. In: ROSALDO, M.; LAMPHERE, L.; (orgs) A mulher, a cultura e a sociedade. Rio de Janeiro, Editora Paz e Terra.
RIBEIRO, Djamila. 2013. Linguagem, gênero e filosofia: uma abordagem Wittgensteiniana. La Plata, FAHCE-UNLP. 23-33
RIBEIRO, Loredana. 2017. Crítica feminista, arqueologia e descolonialidade: sobre resistir na ciência. Revista de Arqueologia SAB 30 (1):210-234.
RIBEIRO, Loredana; SILVA, Bruno. S. R.; SCHIMIDT, Sarah. K. S.; PASSOS, Lara. P. 2017. A Saia Justa da Arqueologia Brasileira: mulheres e feminismos em apuro bibliográfico. Revista Estudos Feministas. vol.25 no.3.
SCOTT, Joan. 1990. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. In: Educação & realidade. Vol.15, nº2, jul/dez.
SILVA, Edna Lúcia; PINHEIRO, Liliane Vieira. 2008. A produção do conhecimento em Ciência da Informação: uma análise a partir dos artigos científicos publicados na área. Intexto. Porto Alegre: UFRGS, v. 2, n. 19, p. 1-24, Jul./dez.
SILVA, Fabiane Ferreira; RIBEIRO, Paula Regina Costa. 2011. A participação das mulheres na ciência: problematizações sobre as diferenças de gênero. Revista Labrys Estudos Feministas, n 10, jul/dez.
TARGINO, Maria das Graças. 2000. Comunicação Científica: uma revisão de seus elementos básicos. Informação e Sociedade, João Pessoa, v. 10, n. 2, p.1-7.
TOSI, Lucía. 1998. Mulher e Ciência. A Revolução Científica, a Caça às Bruxas e a Ciência Moderna. Cad. Pagu, 10:369-397.
VANTI, Nadia Aurora Peres. 2002. Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v.31, n.2, p. 152-162, maio./ago.
VOSS, Barbara L. 2000. Feminisms, queer theories, and the archaeological study of past sexualities. World Archaeology, Cambridge, v. 32, v. 2, p. 80-192.
Publicado
2017-12-21
Como Citar
PASSOS, Lara de Paula. Gotas de um oceano. Revista de Arqueologia, [S.l.], v. 30, n. 2, p. 130-144, dez. 2017. ISSN 1982-1999. Disponível em: <http://revista.sabnet.com.br/revista/index.php/SAB/article/view/524>. Acesso em: 25 fev. 2018. doi: https://doi.org/10.24885/sab.v20i2.524.